Siga a gente!

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

A leonina e a ironia. (1)

A atriz Theda Bara (29/07), no auge de sua fama, nos idos da década de 1910, foi uma das mais populares estrelas do cinema mudo.



Por causa de seus papéis sensuais e que representavam um perigo mortal aos homens, ela é considerada a primeira femme fatale do cinema, recebendo o apelido de "The Vamp".





















Em 1936, após anos longe da sétima arte, ela tinha planos para o seu grande retorno ao cinema, mas um incêndio em um armazém da Fox Film, que se alastrou impiedosamente e destruiu a maior parte dos rolos de filmes mudos (feitos de nitrato de celulose, altamente inflamáveis), parece ter sido decisivo para que mudasse de ideia.




Como não deve ter ficado mortificado seu orgulho leonino quando soube que, dos 44 filmes que estrelou, 40 deles foram simplesmente apagados da História... 




De Cleópatra, por exemplo, sobraram apenas estes 20 segundos:



Algumas curiosidades... 

O símbolo do Chicago International Film Festival é um close dos olhos de Theda Bara: 

  

Ela é considerada a primeira sexy symbol  do cinema, famosa por usar figurinos excêntricos, ousados e transparentes na maioria de seus filmes e, principalmente, nas fotos promocionais (que foram, em grande parte, preservadas). Trajes provocantes como os dela foram proibidos em Hollywood após 1930, quando foi instaurado um código de produção, que se tornou ainda mais rígido em 1934.






O executivo húngaro naturalizado americano William Fox, pioneiro da indústria cinematográfica, produziu a maior parte dos filmes de Theda Bara. O colossal sucesso de bilheteria de um dos filmes da atriz, A Fool There Was, proporcionou ao produtor o dinheiro para fundar a Fox Film Corporation, o embrião do que veio a se tornar a 20th Century Fox, que ainda leva o seu nome, embora ele tenha vendido sua participação acionária em 1936. Ou seja, a Fox existe graças à Theda Bara...




Em 1994, ela foi homenageada em um selo dos Estados Unidos, com uma imagem sua feita pelo caricaturista Al Hirschfeld, para uma série sobre astros do cinema mudo:


Embora fosse uma atriz talentosa e versátil, Theda Bara ficou presa à imagem de vamp por encarná-la tão bem. Ela acabou se conformando com tal limitação imposta pelos interesses dos produtores e pelo próprio público, que não desejava vê-la em outros papéis mais convencionais ou de heroína boazinha, e se aplicou em reforçar a imagem de mulher fatal, sinistra e destruidora, tão diferente do que era. Então, para fazer-lhe justiça, aqui vai uma última foto da Theda Bara da vida real, risonha e descontraída, na companhia de seu cachorrinho Admiral Peary, num intervalo das filmagens de Cleópatra:




Veja ironias em outros signos:


Libra

Aquário

Gêmeos

Escorpião

Virgem

Peixes

Sagitário

Capricórnio

Câncer

Áries

Nenhum comentário:

Postar um comentário